Pular para o conteúdo principal

Itaipu vai investir R$ 11,2 milhões em projeto nacional de plantas medicinais

 

A Itaipu vai aplicar R$ 11,2 milhões em ações para implementar a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos (PNPMF) na área de abrangência do Programa Itaipu Mais que Energia, que atinge 399 municípios do Paraná e 35 do Mato Grosso do Sul. A assinatura do convênio em parceria com a Sustentec Produtores Associados foi feita na sexta-feira (7), na sede da Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (AMOP), em Cascavel (PR). A cerimônia reuniu deputados federais, estaduais e outras autoridades políticas da região.

O objetivo do convênio, que tem previsão de duração de 36 meses, é capacitar e instrumentalizar agricultores familiares e suas organizações, agentes de saúde e lideranças comunitárias, profissionais de saúde, usuários do sistema de saúde, gestores e pesquisadores em relação ao cultivo e ao uso das plantas medicinais e fitoterápicas. Inicialmente serão atingidos cerca de 280 municípios, de 11 Regionais de Saúde, em três macrorregiões do estado do Paraná.

Para o diretor-geral brasileiro da Itaipu, Enio Verri, a união da experiência da Sustentec, com o apoio do corpo técnico da Binacional, vai resgatar os investimentos em projetos com plantas fitoterápicas e medicinais, retomados pelo governo Lula por meio do PNPMF. “Não estamos inventando a roda, já existia esse programa no passado, mas foi interrompido nos últimos anos e, agora, estamos resgatando”, afirmou. E concluiu: “o caminho é acreditar no desenvolvimento, na justiça social e em um País cada vez mais desenvolvido, mas em especial, acreditar nas pessoas.”

De acordo com o diretor-presidente da Sustentec, Euclides Lara Cardozo Junior, os trabalhos com plantas medicinais, como alternativa de medicamentos para população, representam a volta de um histórico de parcerias entre a empresa e Itaipu, que tem anos de experiência no assunto. “Itaipu não é apenas o concreto da barragem, mas é formada por pessoas que tiveram a sensibilidade e a clareza de resgatar esse projeto”, comentou.

O diretor de Coordenação da Itaipu, Carlos Carboni, explicou que o projeto tem dois grandes objetivos. O primeiro é gerar renda para agricultores familiares, indígenas e quilombolas, por meio do cultivo e comercialização das plantas medicinais, que poderão ser fornecidas para escolas, creches e asilos por meio do Programa Nacional de Aquisição de Alimentos. O segundo é a formação profissional de médicos, enfermeiros e agentes da saúde sobre a importância das plantas medicinais para o tratamento de doenças.
Setores beneficiados

O objetivo do convênio, além de consolidar a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos na região, é atingir uma ampla gama de profissionais ligados ao tema. Os agricultores familiares, por exemplo, terão qualificação e instrumentalização, com cursos de capacitação, orientação técnica, fornecimento de secadores e construção de projetos executivos de Arranjos Produtivos Locais, para a produção e beneficiamento de plantas medicinais, agregando valor, gerando emprego e renda.

Já os profissionais de saúde terão o desenvolvimento de competências para a prescrição das plantas medicinais para a atenção à saúde, em especial os integrantes das equipes de saúde da família, atuando em estratégias preventivas e curativas de atenção à saúde em tratamentos mais humanizados, com a diminuição da dependência química e seus efeitos colaterais.

Professores e pesquisadores serão beneficiados a partir da geração de conhecimentos científicos, inovação e publicações, que agregarão ciência à utilização das plantas medicinais na atenção à saúde.

Finalmente, os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e a sociedade em geral, serão atingidos pela territorialização da PNPMF, e a validação da utilização destas plantas para a melhoria da qualidade de vida e de saúde da população, a partir de estudos de validação com base cientifica. Além disso, o Brasil diminui a sua dependência externa no mercado farmacêutico, consolidando uma política nacional que potencializa a sociobiodiversidade do nosso país em benefício de seus cidadãos.

Viver Toledo - Ano 15

Editoria: Wanderley Graeff - Karine Graeff
 (45) 98801-8722
Rua Três de Outubro, 311 – S. 403- Vila Industrial
CEP 85.904-180 – Toledo-PR








Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terceirona terá 14 equipes e primeiro clássico entre Oeste Brasil e Toledo

Agenor Piccinin entregou camisas do Oeste Brasil ao diretor Orlando Vaz e ao presidente Helio Cury Filho Um novo clássico do futebol regional já tem data marcada para o primeiro confronto. Oeste Brasil FC e Toledo EC, se enfrentarão no dia 24 de agosto, no Estádio 14 de Dezembro, pelo Campeonato Paranaense da Terceira Divisão, com mando do Toledo. Pelo returno, o mando do Oeste Brasil será no dia 13 de outubro.   Os detalhes da competição foram definidos no arbitral realizado na noite de terça-feira (11), na Federação Paranaense de Futebol, em Curitiba. As 14 equipes foram divididas três grupos regionalizados, sendo dois grupos de cinco e um grupo de quatro times. As equipes toledanas formam o Grupo B, junto com União de Francisco Beltrão e Verê Futebol Clube. A primeira fase terá turno e returno, com jogos dentro do grupo, classificando-se as duas  melhores de cada chave; e as duas com os melhores índices técnicos entre as terceiras colocadas. A partir da segunda fase, até a final, o

Sorriso comunica compra de 28 ônibus novos para transporte coletivo de Toledo

  O Gabinete do Prefeito foi o cenário, na manhã de quinta-feira (13), de um importante anúncio: a Viação Sorriso de Toledo acaba de adquirir 28 ônibus novos para o transporte coletivo urbano do município. A aquisição cumpre uma das exigências previstas em contrato firmado em abril entre empresa e governo municipal. Segundo o diretor-executivo e o gerente local da empresa, Juliano Gulin Ribeiro e Daniel Kopicz, respectivamente, há a previsão de que os veículos cheguem até setembro. “Este é o prazo estabelecido no contrato, com a ressalva de que pode haver atrasos porque alguns fornecedores da fabricante, que é de Caxias do Sul, ainda estão com severas dificuldades causadas pelas inundações ocorridas no Rio Grande do Sul”, pontua Juliano. “Nosso pedido está na fila da linha de produção da indústria e virão para cá ônibus já equipados com ar-condicionado e estrutura básica para videomonitoramento e pagamento eletrônico da tarifa”, acrescenta.  Acompanhado do secretário da Fazenda, Jadyr

Empresários paulistas destacam “altíssima qualidade e confiabilidade” dos produtos Bedinsolar

Bispo, Tom, Lucas, Alessandra e Bosquet em frente às futuras instalações Os empresários Oswaldo Bosquet, Washington Bispo e Tom Souza, da empresa paulista Placa Sol Energia Solar, realizaram visita às instalações do Grupo Bedinsat, em Toledo, quinta-feira (21). Eles foram recepcionados pelo diretor Marcio Bedin e integrantes da equipe Bedinsolar, para tratativas em torno de interesses comuns da relação comercial mantida há vários anos.   A Placa Sol tem sede em Presidente Prudente-SP e uma atuação abrangente em quatro estados: São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Norte do Paraná. Além do diálogo em torno dos negócios, os sócios da Placa Sol visitaram as obras de construção do novo complexo Industrial do Grupo Bedinsat, acompanhados de Lucas Bedin e da gerente Comercial da Bedinsolar, Alessandra Bordignon.   Para o diretor Lucas Bedin, “receber os nossos integradores é sempre muito positivo para alinharmos as estratégias de negócios, ao mesmo tempo em que o contato pessoal é im